USDA reduz estimativas para estoques domésticos nos EUA, Brasil e Argentina

07/Apr 2022 18:12  - Atualizado 3 meses atrás

Mercado Externo

Estoques analisados foram principalmente o milho e a soja

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) deve reduzir suas estimativas para estoques domésticos de milho e soja em seu relatório mensal. De acordo com analistas consultados pelo The Wall Street Journal, as reservas de soja devem ser estimadas em 254 milhões de bushels, totalizando 6,91 milhões de toneladas, em comparação a 285 milhões de bushels, ou 7,76 milhões de toneladas projetados no relatório de oferta e demanda de março.

A projeção do USDA para os estoques de milho deve ser reduzida de 1,44 bilhão para 1,40 bilhão de bushels, ou 36,58 milhões para 35,56 milhões de toneladas, segundo os analistas. Já a estimativa para as reservas de trigo deve ser aumentada levemente, de 653 milhões para 654 milhões de bushels, ou 17,77 milhões para 17,80 milhões de toneladas.

Os analistas acreditam que o USDA vai cortar sua previsão para estoques mundiais de soja em 2021/22 de 90 milhões para 88,4 milhões de toneladas. Quanto ao milho, a expectativa é de que as reservas globais sejam reduzidas de 301 milhões para 300,7 milhões de toneladas. A projeção para os estoques mundiais de trigo deve ficar inalterada em 281,5 milhões de toneladas, disseram os analistas.

Brasil e Argentina – O mercado também prevê cortes nas estimativas do USDA para as safras de soja do Brasil e da Argentina. A produção de soja no Brasil deve ser reduzida de 127 milhões para 125 milhões de toneladas, segundo os analistas. Para a Argentina, a projeção deve ser reduzida de 43,5 milhões para 42,6 milhões de toneladas.

Quanto ao milho, os analistas esperam que o USDA eleve sua estimativa para o Brasil de 114 milhões para 115,2 milhões de toneladas. Já a previsão para a Argentina deve ser cortada de 53 milhões para 51,9 milhões de toneladas.