Suinocultores vêm alta no preço do animal vivo pela primeira vez em cinco meses

25/Feb 2022 16:34  - Atualizado 4 meses atrás

Agronegócio Mercado Interno Milho Soja

Apesar da valorização, poder de compra do suinocultor permanece baixo frente às altas dos preços do milho e da soja

Suinocultura:

Apesar da alta nos preços do suíno vivo, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq-USP). Os produtores consultados indicam que a liquidez está elevada, e a oferta de animais para abate está baixa, gerando aumentos nos preços, mesmo com as dificuldades em negociar a carne suína no atacado. Apesar disso, a média de preços do animal vivo ainda está inferior à de janeiro, com o poder de compra de suinocultores frente aos principais insumos da atividade, milho e farelo de soja, apresentando novo recuo, acumulando cinco meses de consecutivas quedas. 

No caso do farelo de soja, é possível adquirir 1,9 quilo do derivado com a venda de 1 quilo de suíno, a menor quantidade em mais de nove anos, sendo 6,6% abaixo da verificada em janeiro/22 e 24% inferior à de fevereiro/21. Já em Chapecó, no Sul do país, é possível adquirir 1,75 quilo de farelo de soja com a venda de um quilo de suíno vivo, quedas de 10,1% frente ao volume de janeiro/22 e de 31,2% na comparação com fevereiro/21. Paraná e Santa Catarina são os maiores produtores de suínos, sendo usados como preço de base para outras localidades.

Já para o milho, é possível adquirir 3,35 quilos do cereal com a venda de 1 quilo de animal, 31,1% a menos que em janeiro/22 e 34,5% abaixo da quantidade de fevereiro/21. Em Santa Catarina, é possível conseguir 2,89 quilos de milho com a venda de um quilo de suíno, quedas de 5,2% no comparativo mensal e de 45,9% no anual.

Avicultura:

Já o preço do frango segue em baixa em relação ao preço da proteína bovina, cenário resultante das quedas nos preços da proteína de frango e das valorizações da carne de boi. Diante disso, dados do Cepea mostram que, neste mês de fevereiro, a diferença média entre os preços destas carnes no mercado atacadista da Grande São Paulo está em torno de 15,6 Reais/kg, a mais ampla da série histórica, iniciada em 2004.

Crédito Emergencial:

Governo federal assinou medida provisória que libera R$479,87 milhões em crédito extraordinário para 150 municípios para os estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraná e Rio de Janeiro, que sofreram enchentes desde o fim do ano passado. 

Os recursos serão destinados à recuperação da infraestrutura. Entre as principais obras previstas, estão a construção de pontes, de unidades habitacionais e estabilização de encostas.

Tecnologia e Inovação:

Em parceria com o Fundo Internacional para o Clima do Governo do Reino Unido, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater MG) irá oferecer assistência técnica para produtores de 16 municípios do estado para o desenvolvimento de um projeto rural sustentável.

O contrato terá valor de R$349 mil, e terá duração de um ano, e terá como tema operações de baixo carbono com foco na recuperação de pastagens degradadas e na implementação de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta. Foram selecionadas 45 propriedades em Abaeté, Araçaí, Caetanópolis, Cordisburgo, Curvelo, Guarda-Mor, Ituiutaba, João Pinheiro, Paracatu, Paraopeba, Pompéu, Prata, Sete Lagoas, Uberlândia, Unaí e Vazante.