Santa Catarina anuncia crédito de R$400 mil para suinocultores

28/Apr 2022 15:21  - Atualizado 2 meses atrás

Mercado Interno

Setor enfrenta dificuldades desde dezembro de 2021, e prejuízos por animal chegam até R$300

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em parceria com a Secretaria da Agricultura de Santa Catarina lançou uma linha de crédito emergencial para minimizar prejuízos de suinocultores independentes do estado. 

Com o Projeto de Subvenção Emergencial para Suinocultura, os produtores poderão contratar financiamentos de até R$400 mil junto ao agente bancário para custeio pecuário e o governo do estado pagará os juros num limite de 5% ao ano. A medida é válida para produtores não integrados e enquadráveis no Pronaf ou no Pronamp.

O crédito emergencial atende a uma demanda do setor produtivo, que sofre com a alta nos custos de produção, em especial, o milho e a soja, utilizados para a alimentação dos animais. Com a alta oferta de carne suína no mercado interno, os suinocultores não foram capazes de repassar a alta nos custos para os consumidores Segundo a Associação Catarinense de Criadores de Suínos, os custos de produção no estado chegam a R$8/kg de suíno, enquanto a comercialização gira em torno de R$4,70.

Preços do suíno:

De acordo com levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o valor médio da carcaça especial suína se manteve estável entre março e a parcial de abril, até o dia 26/04, enquanto os preços da proteína de frango subiram com força. Diante disso, a competitividade da carne suína frente à de origem avícola cresceu no comparativo mensal, registrando o maior patamar desde agosto de 2009. 

A carne bovina, por sua vez, registrou pequena desvalorização, o que reduziu levemente a competitividade da proteína suína frente a essa concorrente. No atacado da Grande São Paulo, a carcaça especial suína valorizou ligeiro 0,2% entre março e a parcial de abril, negociada na média de R$8,67/kg neste mês. Segundo pesquisadores do Cepea, a estabilidade dos preços da carne suína reflete os movimentos opostos na primeira e na segunda quinzenas – enquanto no início do mês, o ritmo lento dos negócios pressionou as cotações na segunda metade do período. 

Fertilizantes:

Segundo o Ministério da Economia (ME), os portos paranaenses são as principais portas de entrada de fertilizantes no país, com cerca de 31,5% dos insumos importados pelo Brasil entrando pelo país por Paranaguá e Antonina.

De janeiro a março do ano passado, 149 navios descarregaram quase 2,4 milhões toneladas de fertilizantes, enquanto que no primeiro trimestre deste ano, 191 navios descarregaram mais de 3 milhões de toneladas de adubo, um aumento de 28%. Com o aquecimento na importação do produto, grande parte ocasionada pela antecipação de compra, o terminal paranaense aumentou a produtividade em 30%. 

Hoje, há 14 embarcações aguardando para descarregar cerca de 468 mil toneladas de fertilizantes. Há uma semana, eram 19 embarcações, com 614 mil toneladas aguardando. No mesmo dia em 2021 eram apenas 3 navios no line up.