Safra Global de grãos para 2022 tem aumento de 3 milhões de toneladas

22/Apr 2022 16:13  - Atualizado 2 meses atrás

Mercado Externo

A estimativa foi feita pelo IGC, e considera o bom desempenho que a safra de milho desempenhou no Brasil

O Conselho Internacional de Grãos (IGC) aumentou em 3 milhões de toneladas sua previsão de produção global de grãos na temporada 2021/22, de 2,284 bilhões para 2,287 bilhões de toneladas, de acordo com relatório mensal. Segundo a entidade, a previsão avançou em razão de uma revisão na estimativa para a safra de milho do Brasil.

A estimativa para o consumo mundial foi elevada de 2,278 bilhões para 2,281 bilhões de toneladas. A previsão de estoques, após quatro anos consecutivos de aperto, foi revisada para cima, com aumento de 1 milhão de toneladas, para 608 milhões de toneladas, ante 601 milhões estimados para 2020/21.

Para a soja em 2021/22, o IGC reduziu a estimativa de produção em 1 milhão de toneladas, de 350 milhões de toneladas (previsão de março) para 349 milhões de toneladas, em comparação com os 368 milhões de toneladas de 2020/21. O conselho afirmou em nota que a menor projeção para a safra se deve a revisões para baixo em produtores do Hemisfério Sul.

A projeção de consumo também foi reduzida em relação a março de 362 milhões de toneladas para 360 milhões de toneladas, ante 366 milhões de toneladas no ciclo anterior. Já a projeção de estoques foi elevada para 44 milhões de toneladas, 2 milhões de toneladas a mais que o projetado em março, e o volume do estoque final de 2020/21 foi estimado em 55 milhões de toneladas.

Quanto ao milho, o conselho aumentou a estimativa de produção em 3 milhões de toneladas, para 1,210 bilhão de toneladas em 2021/22, aumento ante o 1,132 bilhão de toneladas projetado para 2020/21. O consumo foi elevado de 1,197 bilhão de toneladas para 1,201 bilhão de toneladas, ante 1,153 bilhão de toneladas projetadas para 2020/21. Os estoques foram reduzidos em 1 milhão de toneladas para 286 milhões de toneladas.

Estados Unidos:

Segundo relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), exportadores do país venderam 101,8 mil toneladas de farelo de soja da safra 2021/22. O volume representa queda de 42% ante a semana anterior e de 33% em relação à média das quatro semanas anteriores.

Os principais compradores foram Filipinas, com 47,2 mil toneladas, seguida pela Colômbia, com 25,5 mil, México, que comprou 21,6 mil, Canadá, com 15,2 mil, e El Salvador, com 6,4 mil toneladas, que compensaram os cancelamentos feitos pela Irlanda, de 12 mil ton, destinos não revelados, com 4,5 mil, Guatemala, com 4,1 mil, e Marrocos, com 2,2 mil.

Para a safra 2022/23 foram comercializadas 27 mil toneladas para Colômbia, que comprou 15 mil toneladas, e Irlanda, com 12 mil

Já para o milho, foram vendidas 879,2 mil toneladas, queda de 34% frente à semana anterior.

Argentina:

A colheita de soja da safra 2021/22 da Argentina alcançou 30,8% da área apta, um avanço de 16,4 pontos porcentuais ante a semana anterior, informou a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, em relatório semanal. O rendimento médio nacional está em 3.220 quilos por hectare, e a estimativa de produção foi mantida em 42 milhões de toneladas. Do total, 15,9 milhões de toneladas (de 4,9 milhões de hectares) já foram colhidas, de acordo com a entidade. 

Quanto ao milho, a colheita atingiu 23,2% da área apta. Na semana, o avanço foi de 3,8 pontos porcentuais. Segundo a bolsa, a melhora nas condições climáticas permitiram o avanço da retirada do cereal. Os rendimentos nas províncias de Santa Fé e Córdoba continuam abaixo das expectativas iniciais, disse a bolsa. A produtividade média nacional está em 6.590 quilos por hectare, e a estimativa de produção foi mantida em 49 milhões de toneladas ante 52,5 milhões de toneladas colhidas na safra passada.