Safra de grãos paulista cresce 21% frente ao ano passado

25/Apr 2022 15:10  - Atualizado 2 meses atrás

Mercado Interno

Estimativa da Conab, caso se concretize, poderá compensar pelas perdas devido à estiagem prolongada

Em São Paulo, a estimativa para a safra de grãos aponta crescimento de 21% frente à safra do ano anterior, com potencial para recuperação do setor frente às intempéries climáticas e estiagem prolongada. Os dados são da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), em conjunto com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Conforme o Levantamento, os grãos de verão devem somar 10,18 milhões de toneladas, aumento de 21,4% em comparação com a safra 2020/21. Para os grãos de inverno, a projeção é de queda de 6,94% no volume colhido, avaliado em 275,4 mil toneladas.

De acordo com a Faesp, o grande destaque da safra paulista de grãos 2021/22 é o milho safrinha, para o qual se estima um incremento de 85,3% no volume produzido, previsto para 2,65 milhões de toneladas. A primeira safra da cultura deve resultar em 1,91 milhão de toneladas, sinalizando um aumento de 3,75%. 

As expectativas para a produção de soja também são positivas. Ao final de março, 85% da área cultivada com a cultura já havia sido colhida. Com produtividade acima das previsões iniciais, estimam-se 4,68 milhões de toneladas de soja, volume 8,85% maior que o obtido na safra passada.

Milho:

O Centro de Estudos em Economia Avançada (Cepea) liberou novas informações sobre o preço do milho. As cotações do cereal estavam em forte queda nas principais regiões brasileiras desde o início de abril, mas houve pequena reação em algumas regiões, especialmente as consumidoras. Entre 14 e 22 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (base Campinas-SP) avançou 0,72%, a R$87,93/saca de 60 kg. A recuperação veio após os futuros atingirem os maiores valores em 10 anos na Bolsa de Chicago (CME Group) na semana passada, cenário que animou produtores, que voltaram a reduzir a quantidade de ofertas.

Soja:

Já para a soja, o Centro aponta aumento no preço interno após aumento na demanda mundial por óleo de soja. Os Indicadores ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá (PR) e CEPEA/ESALQ – Paraná avançaram 3,16% e 3,39%, com respectivos fechamentos de R$192,57 e de R$186,62/saca de 60 kg. Segundo informações do Cepea, as indústrias brasileiras estiveram mais ativas nas aquisições do grão na semana passada, cenário que elevou a liquidez no mercado brasileiro. No entanto, uma parte dos produtores esteve retraída nas negociações, mostrando interesse em armazenar o grão em detrimento de vender no mercado spot.

Ovos:

Os preços dos ovos, que iniciaram abril em alta – favorecidos pelo pagamento dos salários, pelo consequente aumento da demanda e, principalmente, pelo repasse dos custos de produção – registraram novo avanço nos últimos dias. As cotações dos principais insumos consumidos na avicultura de postura, milho e farelo de soja, por sua vez, recuaram. De acordo com pesquisadores do Cepea, esse cenário elevou o poder de compra do avicultor frente a esses insumos na parcial de abril se comparado ao do mês anterior.