Preço do milho permanece em queda em parte das regiões brasileiras

09/May 2022 15:32  - Atualizado 2 meses atrás

Mercado Interno

Os preços do milho estão em queda em parte das regiões brasileiras, influenciados pela menor demanda. Na parcial deste mês (entre 29 de abril e 6 de maio), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP) caiu 1,84%, chegando a R$ 86,63 a saca de 60 kg, o menor patamar nominal deste ano.

Segundo informações do Cepea, compradores se mostram abastecidos e atentos às boas perspectivas quanto à segunda safra brasileira. Nem mesmo as altas nos preços externos e do dólar foram suficientes para interromper o movimento de queda no spot nacional. Além disso, produtores também têm interesse em negociar, seja para “fazer caixa” ou para liberar espaços nos armazéns.

Já no mercado da soja, os preços registraram queda nos últimos dias. Entre 29 de abril e 6 de maio, o Indicador CEPEA/ESALQ – Paraná caiu 0,9%, fechando a R$ 189,44 a saca de 60 kg. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá (PR) recuou 0,7%, a R$ 193,91 a saca de 60 kg.

De acordo com pesquisadores do Cepea, a pressão veio da menor demanda externa, sobretudo da China, e da evolução na colheita na América do Sul. Além disso, o baixo volume negociado de oleaginosa da safra 2021/22 do Brasil e a falta de espaço nos armazéns em grandes regiões produtoras do País vêm gerando expectativas de maior oferta no curto prazo.


Mercado de Ovos


Após caírem com força no fim de abril, as cotações dos ovos reagiram na primeira semana de maio, favorecidas pelo aumento da demanda — com o recebimento dos salários por parte da população — e pela oferta ainda restrita do produto, principalmente de ovos maiores. No entanto, de acordo com pesquisadores do Cepea, a recente alta não foi suficiente para que os preços retomassem os patamares observados durante a Quaresma, devido às desvalorizações do fim de abril.