Perguntas e respostas sobre operações de hedge

17/Feb 2022 14:34  - Atualizado 5 meses atrás

hedge hedge cambial hedge fund hedge funds

As operações de hedge são mecanismos fundamentais na negociação de commodities. Saiba como elas funcionam

Muito conhecidas no mercado de commodities, as operações de hedge são sinônimo de proteção e segurança.

Não é segredo para ninguém que o preço do milho e outros grãos é influenciado por diversos fatores como clima, oferta e demanda, relações internacionais, cotações na bolsa de Chicago, regulações estatais, etc. Com tantas variáveis sendo consideradas, ter uma forma segura de negociá-lo é de extrema importância.

Nesse sentido, o hedge vem para promover essa proteção ao negociador, mas é importante entender corretamente o funcionamento dessa modalidade para assegurar boas margens e resultados no futuro.

A Tarken quer ajudar você a conhecer mais sobre as operações de hedge, por isso, preparou 4 perguntas e respostas sobre o assunto. Continue lendo e fique por dentro!

O que é hedge?

Para entender o que é hedge, é preciso resgatar o significado deste termo. Traduzindo para o português, hedge significa cobertura, e o seu objetivo é proteger o negociador das oscilações de mercado.

Em termos gerais, em uma operação de hedge, o negociador poderá fixar o preço do ativo em um contrato para data futura. No mercado de commodities, isso permite que o produtor tenha mais previsibilidade das margens de lucro e maior controle das finanças, uma vez que estará protegido de possíveis oscilações que o preço do grão pode ter até a safra.

Quais os tipos de hedge?

Embora a origem das operações de hedge seja no mercado de commodities, atualmente ele não é o único beneficiado com esse mecanismo de proteção. Existem vários tipos de hedge para diferentes mercados. São eles:

  • Hedge cambial
  • Hedge natural
  • Hedge em commodities

A seguir, você conhecerá um pouco mais sobre cada modalidade.

Hedge cambial

O hedge cambial é um mecanismo de proteção contra a desvalorização da moeda local — no caso do Brasil, o real. Nessa estratégia, o dólar ou o euro pode ser utilizado como meio de se proteger contra as variações de outras moedas mais fracas no mercado. Isso pode ser feito de quatro formas:

  1. Por meio da compra de dólares em momentos de baixa, guardando a quantia até que haja valorização;
  2. A partir de contratos futuros de dólar, isto é, o firmamento de um termo de compra, para se proteger da alta do dólar, ou venda, para se proteger da queda.
  3. Por meio de opções de compra de dólar, onde o negociador adquire o direito de compra de dólares a determinado preço no futuro. Assim, ele se protege da alta da moeda, ou de opções de venda de dólar, para se proteger da queda.
  4. Ou investindo em fundos cambiais, que oscilam de acordo com as variações do câmbio.

Hedge natural

Como o próprio nome já sugere, no hedge natural, não é necessário se proteger contra as variações, porque essa proteção já acontece naturalmente.

Empresas que possuem sua receita e despesas em dólar podem sofrer aumento dos custos quando há aumento do dólar, mas por outro lado, sua receita também é impactada positivamente por essa oscilação, “equilibrando a conta”.

Hedge em commodities

Em operações de hedge em commodities, o objetivo principal é evitar que as oscilações do mercado impactem nos preços do produto, tanto para o produtor quanto para os compradores. Isso porque o preço do milho e de outras commodities no momento do plantio, dificilmente se manterá no momento da colheita e capitalização do grão. 

Por isso, se torna necessário utilizar um “mecanismo de trava de preços” para que as partes envolvidas tenham maior previsibilidade de suas margens.

De forma prática, as operações de hedge em commodities consistem na compra e venda de contratos futuros, onde é definido um preço fixo para o produto. Se o produtor acredita que o preço do milho vai cair, ele assume posição vendida no mercado futuro, como se estivesse vendendo sua safra antecipadamente. 

Assim, quando o momento da venda do milho de fato ocorrer, ele terá um contrato que sustentará sua margem de negociação a um preço fixado, independente do preço físico ou cotado em bolsa naquele momento.

Operações de hedge são seguras?

Independentemente do tipo, as operações de hedge tem o objetivo de promover segurança diante das oscilações de preço do mercado. No caso de produtores e compradores de grãos, essas operações são mecanismos fundamentais para proteção dos negócios e controle dos custos e lucros dentro da safra.

Seu principal objetivo, no entanto, não é obter um aumento de lucro, mas sim, assegurar maior previsibilidade nas margens do produtor.

Como fazer uma operação de hedge?

Como você já sabe, existem diversos tipos de hedge, e a forma como ele será feito dependerá do ativo que está sendo negociado. No caso das commodities, as operações de hedge são negociadas na BM&F Bovespa, e é preciso ter uma conta em uma corretora de valores para se conectar à Bolsa de Valores.

Além disso, para realizar as operações de hedge, é preciso conhecimento do assunto, afinal, existem diversas especificações, códigos e detalhes do contrato que podem gerar diversas dúvidas nas partes envolvidas.

Na plataforma Tarken, os negociadores contam com o acompanhamento de um consultor, que poderá tirar dúvidas e oferecer informações necessárias durante o processo. Faça uma demonstração e tenha mais segurança no seu negócio!