Negociações falham e greve dos caminhoneiros segue na Argentina

14/Apr 2022 16:38  - Atualizado 3 meses atrás

Mercado Externo

Em reunião, Governo, sindicatos e entidades agrícolas procuraram encontrar alguma negociação para viabilizar o prosseguimento das atividades

A greve dos caminhoneiros na Argentina deve continuar pelos próximos dias, após negociações fracassadas em reunião. As entidades agrícolas, o Governo e o sindicato dos transportadores não conseguiram chegar a acordo sobre um aumento da taxa.

A greve se deu em protesto pela falta de atualização da tabela de fretes diante do aumento do preço do combustível, e também pela falta de abastecimento no período de início de colheita. Segundo organizações de trabalhadores envolvidos na greve, a falta de reajuste nos valores dos fretes torna impossível a continuação das atividades.

Estados Unidos:

Em relatório semanal, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) liberou novas informações sobre a exportação de milho e soja do país. Foram vendidas 1,33 milhão de toneladas de milho da safra 2021/22 na semana encerrada em 07 de abril, representando alta de 70% ante o comercializado na semana anterior e de 26% em relação à média das quatro semanas anteriores.

Na semana, os principais compradores foram China, com 671,5 mil toneladas, México, com 418,8 mil, Coreia do Sul, com 151 mil, Colômbia, com 108,5 mi, e Canadá, com 43,1 mil t, que compensaram os cancelamentos feitos por destinos não revelados 226,2 mil t.

Para a safra 2022/23 foram comercializadas 403,1 mil toneladas,com o principal comprador sendo a China, adquirindo 408 mil toneladas.

Já a soja, teve movimento de queda, com 548,9 mil toneladas, 31% abaixo da semana anterior, e de 41% em relação à média das quatro semanas anteriores. A China permaneceu na liderança de grãos adquiridos, tanto para a safra atual, quanto para a safra futura. O país asiático comprou 435,5 mil toneladas da oleaginosa, seguida pela Alemanha, com 56 mil, Holanda, com 49,6 mil, Japão, com 38,5 mil e Coreia do Sul, com 26,1 mil. O montante foi o suficiente para compensar os cancelamentos de 124 mil toneladas.

Para a safra 2022/23 foram comercializadas 458 mil toneladas, com os principais compradores sendo a China, com 267 mil t, seguida por destinos não revelados, com 120 mil, Egito, com 58 mil, Malásia, com 10 mil, e Taiwan, com 3 mil.