Ministério da Economia anuncia corte de tarifas de importação sobre etanol

22/Mar 2022 17:24  - Atualizado 3 meses atrás

Agronegócio Mercado Interno Milho Soja

Estima-se uma economia de cerca de 20 centavos por litro de gasolina com a iniciativa, que também irá zerar a importação sobre alguns grupos de alimentos

O Ministério da Economia anunciou que irá anular as tarifas de importação sobre o etanol e de seis grupos de alimentos até o fim do ano, além de reduzir em 10% a tarifa que incide sobre bens de capital, de informática e telecomunicação. A medida foi adotada para tentar controlar os aumentos significativos nos preços de combustíveis e alimentos após os desdobramentos do conflito no leste europeu.

Os alimentos que terão imposto de importação zerado são café moído, margarina, queijo, macarrão, açúcar e óleo de soja.

A Secretaria de Comércio Exterior estima que a redução na tarifa do etanol poderá reduzir em 20 centavos o preço do litro da gasolina. Propostas que visavam a redução do preço dos combustíveis tramitaram na Câmara dos Deputados e no Senado desde fevereiro deste ano, mas o assunto ganhou mais urgência após o início da guerra na Ucrânia, devido à instabilidade de fornecimento de petróleo russo no mercado.

PIB Agropecuário:

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou o Produto Interno Bruto do setor Agropecuário para 2022, reduzindo o crescimento de 2,8% para uma alta de 1,0%. O principal motivo para o ajuste foi a nova estimativa do Levantamento Sistemático de Produção Agrícola (LSPA) de queda de 8,8% da produção de soja. A revisão do valor adicionado da produção vegetal passou de um crescimento de 2,6% para uma queda de 0,3%. 

Oposto ao encontrado em 2021, o cenário para a produção vegetal apresenta elevada queda na produção de soja e estimativas de crescimento de outras culturas de grande peso, como milho, cana-de-açúcar, café e algodão. No caso da soja, lavoura de maior peso na produção vegetal, os estados do Sul do país, além de São Paulo e Mato Grosso do Sul, sofreram com forte estiagem no início do ano durante o período crítico de desenvolvimento reprodutivo das plantas. A produtividade estimada para a cultura de soja nesses estados foi fortemente reduzida, com destaque para as produções dos estados do Rio Grande do Sul e Paraná, apresentando quedas de 35,8% e 40,7%, respectivamente.

Colheita no Paraná

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral) a colheita de soja alcançou 75% das áreas cultivadas na safra 2021/22 do Paraná, contra 68% na semana passada. Os trabalhos estão em linha com os 75% vistos no ciclo anterior.

As lavouras de soja classificadas como boas são 55%, embora abaixo dos 82% vistos em igual período do ano passado.

Já 29% das áreas são consideradas médias, e 16% ruins, ante respectivos 32% e 18% na semana anterior.

Para o milho, o plantio da segunda safra atingiu 94% das lavouras, versus 87% na semana passada.

Em igual período da temporada anterior, a semeadura estava em 88%.

Em relação à qualidade, as lavouras do cereal consideradas boas se mantiveram em 95% na variação semanal e somente 5% estão em condições médias, diante de expectativas otimistas para a produção, após a quebra vista na temporada passada.