Mercado Interno: fim da La Niña é antecipado, alta na exportação de ovos e lançamento duas novas linhas de crédito agro da Caixa Econômica Federal

11/Feb 2022 16:35  - Atualizado 5 meses atrás

Agronegócio Mercado Interno Milho

Pauta de combustíveis no Senado a ser discutida na próxima semana

Clima:

Com fim antecipado para o outono, La Niña indica chuvas acima da média entre março e maio de 2022, mas a precipitação permanece abaixo do esperado na região Sul do Brasil. Afetado pela estiagem, Mato Grosso do Sul já registra 33 municípios em situação de emergência, afirma Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). Já a Climate Impact Company prevê que o padrão de seca que assola o sul do país irá se espalhar para a região centro-leste do Brasil, ao longo do mês de abril.

Os estados da Região Sul devem ver retorno de chuvas a partir de terça-feira (15/2), com áreas de instabilidade ganhando força, informa a Rural Clima. Embora precipitações indiquem melhoras expressivas no atual cenário, não serão o suficiente para que os solos recuperem sua umidade, e se mantenham em boa situação. Para o Sudeste, chuvas permanecem e seguem afetando o calendário de colheita.

No Centro-Oeste, há previsão de pancadas para todos os dias da próxima semana, embora produtores se preocupem com a irregularidade no clima, que impede que regiões recebam chuva. A tendência, no entanto, é que com a chegada de uma nova frente fria, é que chova em todo o Centro-Oeste brasileiro, o que pode favorecer o desenvolvimento de segunda safra de milho, mas poderá atrapalhar o pleno andamento da colheita da soja e plantio da safrinha.

Sem novidades para as regiões Norte e Nordeste do Brasil.

Economia:

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informa que o Brasil exportou 2,316 mil toneladas de ovos in natura e processados em janeiro, 42,6% mais que em igual mês do ano passado. A receita já atinge US$3 milhões, 50% acima da receita registrada em 2021. Os Emirados Árabes Unidos foram o principal destino do produto, consumindo 1,934 mil toneladas.

Aumento nas exportações são uma virada bem-vinda para o mercado de avicultores, dado o aumento no custo do milho e farelo de soja. Utiliza-se do mercado internacional para reduzir a pressão de custos sobre rentabilidade, diz a ABPA.

A Caixa Econômica Federal lança duas linhas de crédito voltadas para o agronegócio. A primeira será referente ao custeio antecipado para o Programa de Agricultura Familiar (Pronaf) e Pronamp, dedicado a agricultores de médio porte, com taxa de 3% ao ano. A segunda linha de crédito irá emprestar dinheiro a agricultores com recursos em poupança, com taxa de 9,5% ao ano, sem taxa de referencial.

Combustíveis

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, declarou sua disposição de colocar em pauta ainda na próxima semana os dois projetos destinados a enfrentar a alta dos combustíveis, com data sugerida para segunda-feira. O presidente ainda declarou preocupação em encontrar ponto de equilíbrio nas medidas, de modo a não sacrificar completamente a arrecadação do ICMS, de modo a prejudicar cada estado.

Mercado:

Segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul (Emater RS) a colheita da soja já começou, mas a área é ainda pouco significativa. Das lavouras, apenas 42% estão em floração e 35% em enchimento de grãos, enquanto 3% estão em estado de maturação e 20% em germinação/desenvolvimento vegetativo. A expectativa de diminuição de 45% na projeção inicial, no entanto, permanece.

As chuvas foram benéficas para o milho, com avanço da em 48% da área cultivada, e expectativa de redução de produtividade de 53%. A área de cultivo do milho silagem no estado foi de 65% colhida, com e a redução de produtividade de 56%, em relação à estimativa inicial. Além da redução na quantidade produzida há redução na qualidade do material ensilado, obtido de plantas mais secas, fibrosas e com proporção de grãos abaixo da ideal, afirma Emalter.