Mercado Externo: Aumento na taxa de exportação de frango para África do Sul, exportação de milho desacelera frente à vazão da soja, e China divulga plano de aumento de produção da carne suína

11/Feb 2022 15:33  - Atualizado 5 meses atrás

china Mercado Externo Milho USDA

Brasil pode chegar a pagar 200% a mais em taxa de exportação

Exportações:https://youtu.be/NFSIW4F-9FQ

De modo a conduzir uma investigação antidumping, África do Sul impõe tarifas em cinco novos países sobre a importação de carne de frango com osso; Brasil e países da União Européia são os principais afetados pela tarifa, informa o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O Brasil corre o risco de pagar 265% de taxa, contra os 62% que paga atualmente, e exporta cerca de 18% de todo o frango consumido no país africano. Medida já é a segunda aplicada pelo país africano, e foi motivada por reclamação da South African Poultry Association – Associação Sul Africana de Aves Domésticas (SAPA), que tem motivos para acreditar que os países exportadores estão cometendo dumping, a inserção de um produto no mercado em um preço abaixo daquele praticado por locais, de modo a prejudicar o comércio interno. De acordo com a Fair Play, instituição comercial que visa implementar práticas de comércio justo, o prejuízo das importações chega a US$143 milhões em 2020.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), empresas exportadoras e o governo brasileiro se manifestaram nos autos do processo e devem tomar medidas cabíveis nos foros locais e globais. A ABPA refuta a decisão e considera a medida protecionista.

A África do Sul já adotou medida semelhante em 2011 contra o Brasil, mas a Organização Mundial do Comércio (OMC) confirmou a ausência de dumping e promoveu o cessar das investigações. 

Mercado:

Com residual de 500 mil toneladas, milho não tem vazão para exportação em portos ao longo do território brasileiro. Mercado externo lento, aliado à urgência de colheita e entrega da soja são os principais fatores a influenciarem a saída do milho. Queda desde fevereiro de 2021 até o presente momento já atinge 15 milhões de toneladas, atingindo o máximo de 21 milhões de toneladas.

Economia:

A inflação nos Estados Unidos já chega em 7,5% acumulados de 12 meses. Baixo valor indica baixos prospectos de investimento no país.

A China tem como meta uma produção de 89 milhões de toneladas de carne até 2025, um crescimento médio anual de 2,8%. A medida surge como resposta após prejuízos do mercado frente a epidemia de peste suína africana. No entanto, especialistas duvidam que a China precisará de até 55 milhões de toneladas de carne suína no futuro, à medida que mais consumidores mudarem para outras carnes, como frango e carne bovina.