IMEA estima quebra de recorde para plantação de soja no Mato Grosso, e safrinha de milho indica aumento de 24% em relação ao ano anterior

08/Feb 2022 16:23  - Atualizado 5 meses atrás

Agronegócio Mercado Interno Milho

Janeiro aponta alta na comercialização da soja após contratos da CBOT

Em relatório o Instituto Mato-grossense de Economia e Agropecuária (Imea) estima que a produção de soja no Mato Grosso deve quebrar o recorde, atingindo 9,5% a mais do ciclo passado, totalizando 39,47 milhões de toneladas. O volume já é 3,5% maior do que aquele estimado em dezembro. O aumento na produtividade se dá pela rápida evolução na colheita e condições climáticas favoráveis, além do incentivo dos preços em alta e demanda constante.

O Instituto ainda aponta que cerca de 99,29% da safra 2020/2021 do Mato Grosso já foi negociada, e apenas as regiões centro-sul, médio norte e sudeste não concluíram seus ciclos de negociações. Para a safra 2021/2022, tem-se cerca de 55% negociada; alta de negócios em janeiro foi motivada pelas altas seguidas do preço do grão na Bolsa de Chicago.

Até o presente momento, houve queda nas exportações de soja ao longo de fevereiro. Em comparação com o ciclo passado, a média diária de produto embarcado se encontra em 23,6 mil toneladas, versus 43,15 mil toneladas no mesmo período em 2021. No entanto, atribui-se os altos valores de 2021 ao atraso que a colheita de safra teve, frente às intempéries climáticas. A expectativa para o mês é de 7,5 milhões de toneladas, diz Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec). Número foi reajustado e segue média conservadora, mas ainda tem potencial para bater recorde do ano passado, estabelecido com volume de 6,6 milhões de toneladas.

No entanto, a tendência é o aumento do preço do grão; o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA) acumula variações no valor da saca, atingindo até R$200 em diferentes praças ao longo do território. Chuvas e danos à soja, aliados à demanda crescente do mercado externo prometem manter a alta nos preços. Resta ver se a alta do preço da soja brasileira pós quebra de safra se manterá, dado a entrada dos Estados Unidos como principal fornecedor do mercado externo. 

Em relação à segunda safra de milho, semeada nos mesmos campos em que a soja é cultivada, após sua colheita, Imea ainda estima que cerca de 94% da safrinha vai ser semeada na janela ideal. Estimativa para a produção de milho é um aumento de 24% em relação ao ano anterior, totalizando 40 milhões de toneladas. Em relação à exportação do milho, a Anec estima 521,2 mil toneladas para o mês de fevereiro, quase 74 mil acima da estimativa passada, e 13 mil acima do mesmo período no ano passado.