Gasto médio do produtor com fertilizantes dobra em um ano no Brasil

18/May 2022 15:35  - Atualizado 2 meses atrás

mercado do milho Mercado Interno

Simulação do Cepea mostrou que o gasto médio orçado com fertilizantes para a produção de soja na safra 22/23 aumentou 03,4% em relação a 2021. As altas sucessivas nos preços dos fertilizantes ao longo de 2021 já vinham deixando produtores brasileiros em alerta quanto à temporada 2022/23.

De acordo com Mauro Osaki, pesquisador da área de custos agrícolas do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq), o movimento de avanço nos valores dos fertilizantes foi intensificado diante da Guerra na Ucrânia.

O levantamento mostrou que o fertilizante cloreto de potássio foi negociado no Brasil à média de R$ 6.171,50 por tonelada em março, forte alta de 24,9% em relação à de fevereiro e 153,6% acima da de março de 2021. A cotação média do Fosfato Monoamônico foi de R$ 7.032,10 por tonelada em março, 40,6% superior à do mês anterior e avanço de 63,6% em relação à de março do ano passado. Quanto à ureia, a tonelada foi negociada à média de R$ 5.844,70 no Brasil em março, valorização mensal de 36,8% e anual de 97,3%.

Esses novos reajustes, por sua vez, já são repassados, em partes, aos gastos envolvendo a nova safra 2022/23. Para o milho da safra verão e de segunda safra de 2022/23, o gasto com fertilizantes orçado em março cresceu 30,6% e 31%, respectivamente, em relação ao mês de fevereiro de 2022. Na comparação anual, os aumentos são de respectivos 91,5% e 119,1%. Em março de 2022, foram necessárias 56,2 sacas e 23,3 sacas de milho para cobrir o gasto orçado com fertilizante por hectare para o milho verão e segunda safra, respectivamente, contra 21,9 e 10,7 sacas do cereal em março de 2021.

Seguro Rural

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) aprovou nesta terça-feira (17) a distribuição do orçamento do Programa de Subvenção ao Prêmino do Seguro Rural (PSR) para o exercício de 2022. No total, serão disponibilizados R$ 990 milhões ao longo dos próximos meses para auxiliar financeiramente o produtor no momento da aquisição do seguro rural.

Nos três primeiros meses de 2022, as seguradoras já pagaram aos produtores cerca de R$ 5,8 bilhões em indenizações, decorrente principalmente dos sinistros observados nas lavouras de soja e milho verão na região Centro-Sul.

A liberação do recurso de R$ 990 milhões possibilitará o apoio na contratação de cerca de 140 mil apólices de seguro rural em todo o país.

Do orçamento total a ser disponibilizado, R$ 500 milhões serão para as culturas de inverno (milho 2ª safra, trigo e demais grãos de inverno) e R$ 324 milhões para os grãos de verão.