Embrapa aponta aumento nos custos de produção de suínos e frango

14/Apr 2022 15:59  - Atualizado 3 meses atrás

Mercado Interno

O aumento nos respectivos ICPs foi motivado pela alta nas despesas com alimentação

Segundo dados liberados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), os custos de produção de frangos de corte e de suínos voltaram a subir em março. O ICPSuíno aumentou 3,43% em relação a fevereiro, totalizando 452,06 pontos, enquanto o ICPFrango subiu 1,60% no mesmo período, chegando aos 446,25 pontos.

Acredita-se que a alta no ICPSuíno foi influenciada pela variação nas despesas com alimentação dos animais. Somente nos primeiros três meses do ano, o ICP Suíno já subiu 12,87%, segundo a Embrapa. Já para o ICPFrango, a alta foi puxada pelos gastos com nutrição e com a compra dos pintos de um dia. 

Preços do suíno:

Segundo o Centro de Pesquisa Avançada em Economia Aplicada (Cepea), os preços do suíno vivo no mercado independente aumentaram nesta semana. Com preço mais competitivo frente a outras carnes, as vendas seguem aquecidas. Além disso, a proximidade do fim da Quaresma e a expectativa de temperaturas mais amenas têm levado compradores a iniciarem a criação de estoques de carne suína. 

Apesar das recentes altas nos preços do suíno vivo, as desvalorizações registradas no começo deste mês fazem com que a média da parcial de abril ainda segue inferior à de março.

Preços do frango:

Ainda segundo o Cepea, a forte valorização do frango vivo e a queda no preço do milho aumentaram o poder de compra do produtor, sendo este o maior valor desde julho de 2020. Já em relação ao farelo de soja, o cenário atual é o mais favorável desde novembro/21. No mercado de frango, a demanda segue firme, sustentada pelas aquecidas exportações da proteína e pelo aumento da procura doméstica no início do mês. 

Já para o milho, a possibilidade de a segunda safra ser recorde vem mantendo os preços do cereal em queda. Para o farelo de soja, a finalização da colheita somada à pressão cambial e à menor demanda pelo produto pressionam as cotações domésticas.