Desdobramentos do conflito entre Rússia e Ucrânia na economia brasileira

24/Feb 2022 18:10  - Atualizado 4 meses atrás

Agronegócio Mercado Externo Mercado Interno Milho Soja

Brasil fica sujeito a fatores internos e externos que possam afetar o crescimento econômico e inflação no país

Depois de quatro meses de ameaça, Moscou aprovou ações militares em território ucraniano na madrugada de quinta-feira, 24/02. Minutos depois, disparos e explosões foram ouvidos em diferentes locais, inclusive a capital, Kiev, o que se tornou, de fato, uma declaração de guerra. 

A Tarken explorou ontem o contexto e alguns possíveis desdobramentos do conflito para a economia brasileira, confira na íntegra aqui

Os efeitos dessa invasão já são percebidos na economia e política do mundo todo, inclusive no Brasil. A priori, os desdobramentos do conflito afetam os setores agropecuário, energético, econômico e logístico do Brasil. 

Os efeitos na Agropecuária

A Rússia e a Ucrânia oferecem cerca de 30% das exportações mundiais de trigo, 19% das exportações de milho, além de exportar óleo de girassol, metais preciosos, carvão, madeira e fertilizantes. O Brasil importa, hoje, cerca de um quarto de todo o fertilizante que utiliza da Rússia. O setor já vinha enfrentando aumentos significativos nos preços do produto, cujo fornecimento não foi capaz de acompanhar a demanda mundial significativa. 

Com o conflito, é possível que o mercado russo diminua ou interrompa totalmente a venda de fertilizantes, fazendo os preços saltarem ainda mais no mercado. Por consequência, o mercado agro brasileiro, que depende dos fertilizantes e insumos exportados pela Rússia e Belarus para a manutenção do solo, de modo a prepará-lo para o plantio e cultivo de diferentes culturas, irá pagar mais caro pelo fertilizante, e pode enfrentar problemas de fornecimento do produto até encontrar um ou mais parceiros de modo a suprir a demanda do país. 

Além disso, o conflito fez o mercado de commodities reagir prontamente, com os preços da soja e do milho na Bolsa de Chicago alcançando as máximas de 10 anos. Os contratos futuros de milho da CBOT chegaram ao nível mais alto desde junho de 2021, e a bolsa atingiu o número máximo de operações diárias do milho. Esses movimentos podem gerar um aumento considerável nos preços dos grãos, tanto interna quanto externamente, afetando as indústrias que dependem direta ou indiretamente do milho e da soja. 

Um exemplo são os avicultores e suinocultores, setor que já enfrenta crises devido ao aumento no preço do milho, utilizado como ração para os animais. Atingindo patamares de prejuízo de R$250 por animal, os produtores estão pagando mais caro pela saca de milho e farelo de soja, e não têm obtido o repasse desse aumento na venda dos animais. Caso não haja um reajuste nos preços, e o preço do milho e da soja siga subindo, a atividade pode se tornar insustentável para atores do setor.

Por fim, a alta dos preços da soja e do milho, fortes produtos da carteira brasileira de exportação, pode reduzir o ritmo acelerado das exportações do país. Muitos países estão estruturando estratégias para controlar internamente a inflação, o que resulta na redução da importação de produtos. A Rússia importa hoje soja, café e frango de corte do Brasil, e o conflito pode reduzir ou interromper o fluxo comercial entre ambos os países. O Brasil pode ser forçado a encontrar um novo comprador, em um mercado cada vez mais fechado, de seus produtos.

Efeito no setor energéticos e logísticos

A Rússia é o segundo maior produtor mundial de petróleo, e supre cerca de um terço de toda a demanda de gás natural da Europa. Com os desdobramentos do conflito, o preço do barril de petróleo superou os US$100 pela primeira vez em oito anos, enquanto há relatos de aumentos nos preços do gás natural girando entre 30% e 40% em diferentes países da União Europeia e países vizinhos.

A tendência, caso os países envolvidos no conflito não concordem em um cessar-fogo é de um aumento expressivo nos preços de combustíveis fósseis, incluindo o diesel e a gasolina no Brasil, após a saída total ou parcial do poderio russo no mercado de petróleo. Enquanto isso, sanções econômicas impostas pelos países membros da Otan podem influenciar, indiretamente, o aumento do preço da energia. 

Inflação e desdobramentos

Além dos aumentos pontuais, o conflito pode acabar por gerar pressão na economia brasileira, em especial nos índices inflacionários. A inflação no país é calculada a partir dos preços de diferentes produtos e serviços oferecidos no varejo, como o preço de alimentos, combustíveis e energia. Caso os desdobramentos se confirmem, a inflação brasileira, que hoje gira em torno de 5%, pode aumentar consideravelmente.

Após ataques desencadeados pelas forças militares russas, a Ucrânia suspendeu as operações de seus portos. Ataques já são executados por água, terra e ar, e o fluxo de suprimentos e exportações da Ucrânia, país que exporta números consideráveis de grãos de milho, trigo e outros derivados mundialmente, correm risco.