Contratações do crédito rural superam o programado e alcançam r$ 252,46 bi

08/Jun 2022 16:34  - Atualizado 3 semanas atrás

mercado do milho Mercado Interno

O total das contratações de crédito rural na atual safra, de julho de 2021 até maio deste ano, alcançou R$ 252,46 bilhões. O número representa um aumento de 18% em relação ao mesmo período da safra passada e supera o que foi disponibilizado para a atual safra por ocasião do anúncio em junho/2021, de R$ 251,2 bilhões.

Isso ocorreu porque, no decorrer do ano-safra, a disponibilidade de recursos e concessão de financiamentos nas fontes livres e controladas, mas não equalizadas, superaram as expectativas.

O fato de os financiamentos de custeio com recursos subvencionados, no âmbito do Pronaf, não terem sido suspensos, possibilitou o aumento de 41% no total das contratações de custeio dos produtores familiares, se situando em R$ 22,58 bilhões.

As contratações de crédito de comercialização também tiveram acentuado crescimento (43%), atingindo R$ 30,9 bilhões, pelo fato de serem realizadas com recursos livres.

O diretor da política de financiamento ao setor agropecuário, Wilson Vas de Araújo, destacou a importância da lca para o funding do crédito rural, sobretudo para os grandes produtores, pois a utilização de recursos dessa fonte, cujas taxas de juros são livres, aumentou de R$ 33,59 bilhões para R$ 49,18 bilhões (+46%), respondendo por 19% das contratações totais.

Segundo ele, tão logo seja autorizada a reabertura das linhas de financiamento de investimentos e de custeio com recursos equalizados, que estão suspensas desde o dia 7 de fevereiro, mais de R$ 20 bilhões devem ser financiados nessas operações até 30 de junho de 2022, quando encerra o plano safra em curso.

No que se refere aos programas de investimento, destaca-se o crescimento dos financiamentos no âmbito do programa abc (+40%) e do programa Pro-Irriga (44%), que se situaram em R$ 3 bilhões e R$ 1,06 bilhão, respectivamente. Com a reabertura das linhas, prevista para os próximos dias, o desempenho de desses e dos demais programas de investimentos devem melhorar, enquanto há volume expressivo de recursos remanescentes nesses programas, cujas contratações estão suspensas.

Durante reunião-almoço da frente parlamentar da agropecuária (FPA), os parlamentares da bancada debateram a respeito da liberação de recursos do plano safra 2021/2022 e ouviram do secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura (Mapa), guilherme bastos, que, ainda esta semana, haverá a liberação dos recursos referentes ao plano atual. Já em relação ao programa 2022/23, o secretário afirma que as negociações ainda prosseguem.

Icms dos combustíveis

O projeto de Lei Complementar (PLP) 18/2022, que limita a aplicação de alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre bens e serviços relacionados a combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo, continua avançando no senado. Segundo o relator do PLP, Fernando Bezerra (MDB-Pe), o texto chega ao plenário da casa, para leitura do relatório e debate, ainda nesta semana.

Por enquanto, o texto aprovado na câmara ainda está mantido, mas bezerra e o presidente do senado, Rodrigo Pacheco, terão reuniões com governadores para ouvir o posicionamento dos estados, principais afetados com a medida. Afinal, serão eles a perder a arrecadação do ICMS.

Segundo a proposta do PLP 18, os setores de combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo seriam classificados como essenciais e indispensáveis, levando à fixação da alíquota do ICMS em um patamar máximo de 17%.

A medida, entretanto, desagrada os estados, que argumentam que a redução precariza ou extingui a prestação de serviços de competência desses entes. Em um movimento paralelo, e também encabeçado por bezerra, duas Propostas de Emenda à Constituição (PEC) serão apresentadas.