Conab aponta crescimento de 10 milhões de toneladas na safra de grãos atual

10/Mar 2022 14:07  - Atualizado 4 meses atrás

Agronegócio Milho Soja Sorgo

Em seu 6º relatório de levantamento da safra 2021/22, a Conab estima a produção de grãos da safra atual em 265,7 milhões de toneladas

Em seu 6º levantamento da Safra 2021/22, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apontou que a produção de grãos deve apresentar um crescimento superior a 10 milhões de toneladas em relação ao ciclo anterior, chegando a 265,7 milhões de toneladas, cerca de 4,6 milhões de toneladas acima do previsto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confira aqui. O documento mostra ainda um incremento de 4,3% na área a ser plantada, estimada em 72,7 milhões de hectares – o que corresponde à incorporação de 3 milhões de hectares, influenciados, sobretudo, pelo crescimento da área de soja e de milho.

Apesar da expectativa de aumento na colheita, quando comparado ao mesmo período do ano passado, observa-se uma perda na produção de 0,9% sobre o volume divulgado no último mês, quando eram esperadas 268,2 milhões de toneladas. A queda é reflexo da forte estiagem verificada, sobretudo, nos estados da Região Sul do país e no centro-sul de Mato Grosso do Sul, onde o clima adverso impactou de maneira expressiva as produtividades das lavouras de soja e milho 1ª safra.

Com o plantio encerrado da soja em 40,7 milhões de hectares, e área 3,8% maior em relação à safra anterior, as atenções se voltam para o andamento da colheita, que já ultrapassa 50% em todo país. Segundo observado pelos técnicos da Conab, as produtividades obtidas refletem o cenário climático durante o ciclo da cultura. A expectativa é que a produção total da oleaginosa alcance 122,76 milhões de toneladas.

O avanço da colheita da soja dita o ritmo do plantio do milho segunda safra. Atualmente, a Conab estima que 74,8% da área disponível já foi semeada, com destaque novamente para o Mato Grosso, com 94% do plantio concluído. A previsão é de um plantio em uma área aproximada de 16 milhões de hectares, o que representa um acréscimo de 6,7% à safra anterior. Espera-se que a produção total do cereal cresça 29% , podendo chegar a 112,3 milhões de toneladas. O incremento é impulsionado pelo melhor desempenho principalmente da segunda safra do grão, que tende passar de 60,7 milhões de toneladas no período 2020/21 para 86,2 milhões de toneladas na atual temporada.

Quanto aos estoques finais esperados, para o milho as alterações não foram significativas, sendo o estoque de passagem previsto para a safra 2021/22 em 10,3 milhões de toneladas, aumento de 32,15% em relação ao período passado. Já para a soja é esperado que os estoques ao final de dezembro de 2022 sejam de 2,41 milhões de toneladas, redução de 9,1% em relação ao levantamento de fevereiro. A queda é explicada pela nova redução na estimativa de produção para o ano de 2022.

Em relação aos custos de produção, a Conab apresentou o percentual de participação dos fertilizantes nos custos para as culturas de soja, milho e trigo, que variam dentro de uma margem de 30% a 40% nos custos variáveis, a depender da região produtora e do produto analisado. No entanto, os dados foram levantados sem considerar os impactos do conflito entre Rússia e Ucrânia, que aconteceu no fim do mês, e que será calculado na análise de março.