Como ocorre a comercialização do grão

18/Nov 2021 11:45  - Atualizado 8 meses atrás

O milho vem ganhando destaque como um dos principais grãos produzidos no país. Seu mercado passou da posição de coadjuvante para um dos negócios nacionais mais lucrativos do ramo agrícola. Esse aumento de protagonismo ajudou a posicionar o Brasil como um dos maiores produtores mundiais e o maior exportador global do grão, despertando a atenção de novos produtores que viram na comercialização do milho uma oportunidade de crescimento rápida e lucrativa. 

Assim, esse tipo de cultivo tornou-se um dos mais dinâmicos e competitivos da agricultura brasileira, permitindo registrar um crescimento de produtividade de 230% nos últimos 40 anos. Porém, com o alto patamar do dólar influenciando diretamente nos custos de produção do milho, é crucial saber negociar e comercializar o grão, entendendo os principais canais de negociação da commodity agrícola.

Como o dólar impacta diretamente nos custos de produção do milho.

Semeadura do Milho

Confira, a seguir, as formas mais usuais de comercializar o milho, entendendo os principais canais e métodos de negociação do grão.

Na hora de comercializar o milho, é necessário que o produtor se atente a uma série de observações para que ele não perca dinheiro e margem de lucro em suas negociações. Com o mercado cada vez mais competitivo e pressionado pelo alto custo de produção, eliminar erros na hora da venda tornou-se uma obrigação para que o produtor consiga ter seu negócio prosperando nas próximas safras.

Inúmeras são as variáveis que compõem o processo de negociação do milho. Entender sobre o mercado interno, a bolsa de valores de Chicago e os impactos da variação do dólar na exportação do grão são alguns dos principais fundamentos no processo de comercialização do cereal. Com isso, trouxemos a dinâmica nacional e internacional de comercialização do grão, passando pelas peculiaridades de cada método e mercado.

Mercado Interno

O mercado interno do milho compreende todas as negociações realizadas em solo brasileiro. Nele, são realizadas transações tanto para o grão físico quanto para os seus derivativos nas bolsas , movimentando operações tanto do mercado físico quanto futuras. Dentre os principais mercados de negociação do milho, temos a Brasil, Bolsa, Balcão (B3), que atua como figura central da negociação do milho no país, sendo referência para cotações e responsável pela negociação do grão como um ativo na bolsa de valores.

  • Mercado Spot Nacional: O Mercado Spot Nacional, também denominado como mercado disponível, mercado físico ou mercado pronto, é um tipo de canal de negociação que admite apenas transações com entrega da mercadoria de forma imediata, tendo seu pagamento sendo efetuado à vista. Por ter um caráter de urgência, a negociação física do grão é bastante utilizado por produtores agrícolas que precisam captar recursos financeiros de forma emergencial, ou quando o preço do milho no mercado físico está favorável para a comercialização, fazendo sentido a negociação imediata da mercadoria para maximização do lucro.
  • Mercado Futuro de Derivativos: Contrapondo o Mercado Spot, o Mercado Futuro de Derivativos se mostra como um canal de comercialização de contratos que derivam a maior parte de seu valor baseado em um ativo, taxa ou índice. Em sua estrutura, o milho ofertado no Mercado Futuro de Derivativos é comercializado através de um contrato negociado no ambiente da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa) da B3. Essa negociação consiste em acordos de compra e venda de sacas pré-fixadas do grão, que serão efetivados em uma data futura, baseada em um preço preestabelecido no momento atual da negociação. Através do mercado de derivativos, negociadores de milho possuem uma alternativa de evitar ou se resguardar perante às oscilações dos preços do mercado, fixando o valor do grão no momento da negociação.
  • Mercado a Termo: O Mercado a Termo é bastante similar ao Mercado de Derivativos, tendo a comercialização de um ativo físico como principal diferença entre os canais. Assim, nesse mecanismos ocorre a comercialização efetiva de um produto, que é entregue fisicamente ao seu comprador mediante aos termos de negociação pré-fixados no momento da operação. Em sua estrutura, o milho ofertado no Mercado a Termo é comercializado por produtores à cooperativas ou traders, que estabelecem condições mais seguras e competitivas aos negociantes. Por essas características, esse mecanismo também proporciona maior segurança contra as oscilações de preços do mercado, já que, como dito, regula os termos de compra e venda no momento da negociação.

    De modo geral, existem diferentes tipos de operações no Mercado a Termo e Futuro do Milho, sendo as principais: Barter, Hedge, Pré-fixação e Pré-Pagamento.
    • Barter: O termo Barter significa “troca”. Assim, a prática consiste na troca proporcional do grão por insumos agrícolas em geral, sem o envolvimento de dinheiro na negociação.
    • Hedge: O termo Hedge significa “proteção”. Nesse sentido, a modalidade de negociação consiste na compra de um contrato de compra/venda do derivativo à um preço futuro, tendo seu valor fixado no momento da transação. Dessa forma, independente do valor atual do milho no momento de sua venda efetiva, o produtor terá um contrato que garante a ele sua comercialização no preço fixado anteriormente. Assim, o modelo garante a segurança do negociador frente a variação dos preços do ativo no mercado.
    • Pré-Fixação: Nessa modalidade, o produtor também fixa o preço do grão no momento da venda, porém, diferente do Hedge, a negociação ocorre diretamente entre um produtor e a parte compradora, como traders, cooperativas ou corretoras.
    • Pré-Pagamento: No modelo de Pré-Pagamento, o comprador adianta o pagamento dos grãos aos produtor, para que ele consiga um adiantamento de verba capaz de realizar o plantio da próxima safra. Em contraproposta, o produtor se compromete a entregar o milho após a colheita, pagando uma taxa de juros pré estabelecida pelo adiantamento do dinheiro.

Mercado Externo

O mercado externo do milho compreende todas as negociações realizadas fora do Brasil. Nele também são realizadas transações físicas e virtuais para o grão, movimentando operações tanto instantâneas quanto futuras. Dentre os principais mercados de negociação fora do país, temos a Bolsa de Valores de Chicago (CBOT), que atua como figura central da negociação do milho no mundo.

  • Bolsa de Valores de  Chicago (CBOT): A bolsa de Valores de Chicago (CBOT) se consolida como um dos principais mercados externos de commodities agrícolas do mundo. Suas operações movimentam bilhões de dólares e são responsáveis pela maior demanda de exportações de milho no planeta. Nesse sentido, a bolsa de Chicago influencia diretamente na negociação do milho nacional, que depende da demanda mundial para consolidar um bom volume de exportações.

Conclusão

Entender como negociar seu milho é um dos fatores primordiais para garantir o sucesso financeiro do seu negócio. Aqui na Tarken possuímos uma solução inovadora, pautada em inteligência artificial, que te ajuda a encontrar os principais compradores e vendedores de milho no Brasil. Na ferramenta, você ainda encontrará uma analise de preços detalhada para sua região, além de ter a possibilidade de negociar de forma simples e gratuita.

Acesse https://ofertas.tarken.ag/signin e solicite um acesso gratuito!