Como o Dólar Impacta na Precificação do Milho

09/Nov 2021 18:04  - Atualizado 8 meses atrás

O milho vem se estabelecendo como a segunda maior commodity agrícola do país, movimentando mais de  R$75 bilhões de reais no último ano. Nesse contexto, é importante entender as principais variáveis que interferem em seu preço,  em especial o dólar, que influencia diretamente na precificação do grão. 

A variação no preço do dólar comercial impacta diretamente as relações de negócio entre produtores brasileiros e o mercado do milho. Essa influência se estabelece pela malha de conectividade que integra a produção do grão e o mercado de exportações agrícolas. Entenda como essa relação se constitui e quais devem ser os principais indicadores a serem analisados para que o produtor não saia perdendo com a variação cambial da moeda americana.

Para entender como o preço do dólar influencia diretamente na precificação do milho, é necessário analisar os principais componentes responsáveis pela produção e comercialização do grão;

  • Sementes;
  • Defensivos Agrícolas;
  • Fertilizantes;
  • Logística de Transporte Interno;
  • Logística de Exportação. 

Outro ponto importante, é entender que a variação da moeda americana possui impactos diferentes a curto, médio e longo prazo. Dessa forma, vamos entender como cada um desses componentes  impacta nos preços do milho, de acordo com a periodicidade analisada.

Sementes, Defensivos Agrícolas e Fertilizantes

Responsáveis como principais elementos que constituem o custo de produção do milho, a demanda interna por esses três componentes se tornou extremamente alta com o aumento do protagonismo do grão no mercado nacional. Essa demanda, não consegue ser suprida de forma interna, carecendo de grandes importações de sementes, defensivos agrícolas e fertilizantes. Nesse sentido, como seus preços são diretamente atrelados ao valor do dólar, o impacto nos custos de produção do grão são diretamente influenciados pela variação cambial da moeda.

Logística interna

Outro fator que impacta diretamente no preço do milho é a logística de transporte do grão no mercado interno. Isso porque, de forma geral, a maior parte do transporte é feito através de rodovias, tendo seu frete calculado com base no valor da gasolina utilizada. Nesse contexto, entende-se que o preço do combustível no Brasil é influenciado diretamente pela moeda americana, uma vez que o país importa petróleo pagando em dólar o barril. Assim, a variação positiva do dólar, por exemplo,  influencia no câmbio, encarecendo o preço do combustível e consequentemente o custo do transporte e do valor final do milho.

Logística de Exportações

O processo de exportação do milho talvez seja o mais impactado com a variação cambial do dólar. Isso porque, de forma geral, é o preço da moeda americana que determina se vale a pena ou não para o produtor nacional vender seu produto para o mercado externo. Como o pagamento das exportações é feito em dólar, um aumento da moeda faz com que o interesse de venda para fora do país seja maior, impactando diretamente no volume comercializado e nos valores do milho no país.

Mercado a Curto Prazo

Em um contexto imediatista, a variação cambial do dólar interfere diretamente na competitividade de exportação dos produtos nacionais, isso também ocorre para o milho. Assim, uma vez que a moeda americana se mostra em patamares altos, torna-se mais vantajoso para o produtor brasileiro exportar sua mercadoria, recebendo em dólar pelo seu produto. Nesse contexto, o volume de exportações aumenta, diminuindo a quantidade do produto comercializado internamente no país. De forma imediata, temos um aumento do valor do milho no mercado interno, já que sua oferta foi diminuída e a demanda pelo grão aumentada. O inverso também é verdadeiro. Com a precificação do dólar a valores mais baixos, o interesse do produtor em exportar seu milho é diminuído, aumentando a comercialização interna do grão que se torna mais barato no mercado nacional.

Mercado a Médio/Longo Prazo

Já em um contexto de médio a longo prazo, é necessário analisar outros fatores que a variação do dólar traz como influência para o valor do milho. Como abordado, grande parte dos componentes utilizados na produção do grão são importados dos Estados Unidos e, nesse sentido, seus preços são diretamente atrelados ao valor do dólar. Dessa forma, se a moeda americana sofre forte variação positiva, por exemplo, o custo do plantio do grão para a próxima safra aumenta consideravelmente, impactando no preço final do milho que também sofrerá uma correção para que as margens do produtor se mantenham, ou pelo menos, não sejam tão prejudicadas.

Conclusão

O mercado nacional do milho é impactado diretamente com as variações do dólar, mostrando a importância de um acompanhamento constante da cotação da moeda americana pelo produtor brasileiro. Como foi discutido, há oportunidades para o agricultor se beneficiar tanto na alta quanto na baixa do dólar, cabendo a ele identificar os momentos de negociar internamente ou de exportar seu produto. Além da cotação do dólar, é extremamente importante que o produtor nacional acompanhe diariamente o que ocorre no mercado interno do milho, analisando as cotações diárias do grão.

Em nossa plataforma, contamos com uma ferramenta de precificação de commodities através de inteligência artificial, que te ajuda a identificar as melhores oportunidades de negociação para o seu produto.

Para um acesso gratuito, basta acessar https://oportunidades.tarken.ag/