ANEC se opõe a proposta de taxação sobre exportação de milho, e afirma que iniciativa pode desmotivar o plantio do grão

01/Feb 2022 16:55  - Atualizado 5 meses atrás

Alíquota Anac Espírito Santo Exportação

Proposta de taxação pode desestabilizar desempenho brasileiro frente ao mercado internacional, perdendo o lugar de destaque

Após proposta de Deputada do Espírito Santo de taxar em 15% para os embarques de milho, Associação Nacional de Exportadores de Cereais (Anec), se posiciona de forma contrária, e afirma que é uma ação injustificável, em especial ao considerar o contexto do grão junto à soja como compensação frente aos custos e dificuldades logísticas do Brasil. A preocupação é reduzir a competitividade do milho do Brasil frente ao mercado internacional, dado que o país conquistou recentemente o posto de segundo maior exportador mundial, e ainda não está bem estabelecido em relação ao grão. 

O texto da proposta ainda prevê alterações da alíquota em 10 pontos percentuais até o fim do ano, a ser decidido pelo Poder Executivo. A justificativa para a proposta é o incentivo ao comércio de milho no mercado interno, em situação de defasagem. No entanto, a expectativa é que a medida irá desmotivar o plantio do grão no geral.