Acumulado dos preços futuros do milho seguem em baixa na B3

06/Jun 2022 07:00  - Atualizado 3 semanas atrás

mercado do milho

A semana chega ao final com os preços futuros do milho acumulando mais movimentações no campo negativo da Bolsa Brasileira, a B3, enquanto o milho no mercado nacional segue sofrendo o efeito safrinha. O Centro-Oeste fechou a semana com preços entre 69 e 77 reais a saca. No sudeste, a cotação Tarken aponta uma faixa de 77 a 86 reais. E no sul o milho vai de 81 a 89 reais a saca. Para saber a cotação específica da sua cidade, além de outras informações e conteúdos, acesse gratuitamente o aplicativo da Tarken no seu celular.

As previsões apontam que essa será a maior safra da história, inclusive com os números reais de hectares semeados superando todos os dados que circulam hoje em dia sobre o plantio. Além disso, o mercado brasileiro de milho deve manter um viés de baixa nos preços, em meio ao cenário de movimentação limitada nos negócios. A queda do dólar frente ao real tende a frear o ritmo de negócios na safrinha.

Produção da safrinha

Assim, conforme a safra 2021/22 de milho avança, a produção total caminha para consolidar uma robusta produção. Segundo novo relatório divulgado pela StoneX, o volume deve atingir 116,8 milhões de toneladas, aumento de 0,3% — dos quais 26,4 milhões de toneladas representam a primeira safra. Em relação à segunda safra brasileira de milho, foi realizado um leve aumento na produção estimada, de 0,2% em comparação com o número trazido no início de maio, passando de 88,1 para 88,3 milhões de toneladas.

O conflito entre Ucrânia e Rússia pode abrir espaço para o agronegócio brasileiro. A Ucrânia é considerada um celeiro de produção de grãos no mundo, em especial dois produtos: o milho e o trigo. O país europeu é nosso concorrente nesses produtos, abrindo uma oportunidade para o Brasil na exportação. Somente no caso do milho, a Ucrânia deve deixar de vender 14 milhões de toneladas em 2022, conforme a projeção da Safras & Mercado. Dessa forma, caso o agronegócio brasileiro consiga absorver a demanda global de milho, os empresários podem lucrar cerca de R$1.667 por tonelada — o que daria os R$ 2,3 bilhões.

Mercado Externo

Por fim, no cenário externo, o USDA informou que os exportadores dos Estados Unidos venderam 185,8 mil toneladas de milho da safra 2021/22 na semana encerrada em 26 de maio. O volume é 23% maior do que o comercializado na semana anterior, mas 52% menor frente à média das quatro semanas anteriores. Na semana, os principais compradores foram Arábia Saudita, Japão, Coreia do Sul, China e México.

Mercado do Milho

Thiago Carvalho apresenta as principais movimentações no 🌽 MERCADO DO MILHO 🌽 na última semana. Ele analisa, também, quais os elementos que você deve “ficar de olho” na hora de comprar ou vender grãos nos próximos dias.

Achou relevante? Baixe nosso app para ler mais notícias, acessar as cotações do seu estado e encontrar a melhor oferta para você.